Viajar para os EUA – Veja aqui quais os documentos que precisa

Viajar para os EUA  - Veja aqui quais os documentos que precisa

Nos Estados Unidos da América poderá encontrar sítios imperdíveis, que lhe vão proporcionar uma experiência inesquecível e sem dúvida despertar o seu interesse nesta cultura única, devido à grande variedade de grupos étnicos, tradições e valores deste país. É um sítio longe que envolve algumas horas de voo e é por isso que muitas pessoas sentem relutância em viajar para os Estados Unidos. Férias neste país são tudo menos barato, mas é uma experiência que vale a pena ser vivenciada. Um país com tanta diversidade merece bastante da sua atenção na hora de organizar a viagem. O que deve levar consigo? Que documentos deve solicitar para poder entrar sem problemas nos EUA? Encontre as respostas a todas essas perguntas, como também alguma informação útil aqui!  

Voos para os Estados Unidos

Voos para os Estados Unidos

Quando se trata de voos diretos para os Estados Unidos, os maiores aeroportos oferecem mais oportunidades. Além disso, uma parte significativa dos voos diretos têm como destino a Costa Leste dos EUA. Como tal a melhor opção seria voar para um dos seguintes aeroportos: Chicago O’Hare, Nova York – JFK, Newark e Miami.

Voos diretos têm geralmente um custo alto, e aconselhamos-lhe por esta razão reservar um voo com escala, pois, apesar de perder algumas horas no aeroporto à espera do seu próximo voo, poupará bastante dinheiro. Companhias aéreas que têm voos com escala são a American Airlines USA, Emirates USA, Brussels Airlines USA ou Norwegian USA.  

Aeroportos nos EUA

Aeroportos nos EUA

Não é difícil adivinhar que os Estados Unidos ultrapassam largamente os outros países do mundo em termos de número de aeroportos, devido à sua extensão territorial e à grande quantidade de turistas que recebe todos os anos. Sabia que o maior aeroporto do mundo se encontra nos EUA? O aeroporto de Atlanta – Hartsfield-Jackson recebeu em 2017 103.902.922 passageiros! 

Outros grandes aeroportos dos EUA são o aeroporto de Los Angeles, Chicago-O’Hare, Dallas-Fort Worth e Nova Iorque JFK. 

Que tipo de visto precisa para os EUA?

Que tipo de visto precisa para os EUA?

Os vistos mais frequentemente solicitados para os Estados Unidos são os vistos de residência temporária B-1/B-2. O primeiro, ou seja, o visto B-1, destina-se a pessoas que viajam para os Estados Unidos em negócios com o objetivo de arranjar novos parceiros de negócio, participar em conferências, ou até mesmo negociar com outras empresas. 

Já o visto B-2 é solicitado por pessoas cuja viagem é de natureza recreativa, ou seja, turismo, visitar familiares e amigos, ou ainda tratamento médico. Muitas das vezes ambos os vistos são emitidos como um só.

A Seção 214(b) da INA afirma que qualquer pessoa que solicita um visto de residência temporária B-1/B-2 tem de ser imigrante, ou seja, terá de provar que se qualifica para tal visto de acordo com a Lei de Imigração e Nacionalidade. Se por alguma razão o funcionário consular achar que você não tenciona voltar para o seu país e que a sua estadia nos EUA não é temporária mas sim permanente, poderão lhe recusar o visto. Para além disso, terá de fornecer uma prova em como tem meios financeiros suficientes para cobrir as suas despesas nos Estados Unidos durante a sua visita, como também um certificado de residência, que prove que realmente tem casa fora dos EUA.

Visto para os EUA - documentos necessários

Visto para os EUA – documentos necessários

Ao solicitar um visto turístico, devem ser apresentados os documentos necessários. Um deles é o formulário de solicitação de visto de não-imigrante (DS-160), o qual deve ser preenchido online e é destinado a cidadãos de outros países. Terá também de fornecer um passaporte válido ainda pelo menos 6 meses depois do seu regresso dos EUA. Exigem também uma fotografia, cujo tamanho deve ser 50mm x 50mm, e que deve ser entregue juntamente com o formulário DS-160. Essa fotografia deve ser recente, ou seja, não ter mais de 6 meses. Deve para além disso, trazer consigo uma confirmação da entrevista marcada quando for à embaixada dos EUA tratar da papelada.

(http://ustraveldocs.com/pl_pl/pl-niv-appointmentschedule.asp). 

Solicitar um visto - passo a passo

Solicitar um visto – passo a passo

Em primeiro lugar terá de preencher o formulário de solicitação de visto de não-imigrante (DS-160) online. A seguir deve pagar a taxa para que o seu pedido seja processado. O pagamento pode ser feito online através do uso de um cartão de débito ou de crédito ou pode então optar por fazer uma transferência bancária. É também possível pagar em dinheiro líquido. Uma vez o pagamento feito, terá de marcar uma entrevista (através do site) com um funcionário do consular. Pediram-lhe alguma informação, nomeadamente o seu número de passaporte, número de confirmação de pagamento e número de código de barras (10 dígitos) da página de confirmação do formulário DS-160

Finalmente, deve apresentar-se à hora e dia marcado na Embaixada ou no Consulado dos Estados Unidos. É importante levar consigo uma cópia da confirmação da sua consulta, da sua submissão do formulário DS-160, a fotografia para o visto, a qual deve atender a todos os requisitos oficiais e o seu passaporte atual. Sem estes documentos, a sua solicitação não será considerada.

Visto americano – documentos comprovativos

Apesar de todos os documentos entregues estarem em ordem, pode ser-lhe recusado o visto para os Estados Unidos. Na maioria dos casos, não são necessários quaisquer documentos adicionais, mas pode trazê-los consigo se achar que serão úteis durante a entrevista. O funcionário consular terá em conta as intenções do requerente, a sua situação familiar, bem como os planos e perspectivas a longo prazo no seu país de residência. Cada caso é examinado individualmente, de acordo com a lei.

Existem exceções em que podem-lhe ser pedido alguns documentos adicionais. Por exemplo, se a sua estadia nos EUA já foi estendida ou o seu status de visto mudou, você deve informar o funcionário e fornecer quaisquer certificados relevantes. O mesmo aplica-se caso tenha tido alguma alteração no seu registo criminal. No caso do delito ou crime ter ocorrido no estrangeiro, terá de obrigatoriamente fornecer um documento relativo à “investigação de registro criminal” como também o julgamento do tribunal ou decisão do procurador emitida pelas autoridades competentes do país onde o evento ocorreu ao funcionário da Embaixada ou do Consulado dos Estados Unidos. Lembre-se: todos os documentos devem ser traduzidos para inglês.

Durante todo este processo de solicitação de visto para os EUA, uma regra básica deve ser respeitada: é proibido apresentar documentos falsificados! Fraudes ou declarações falsas, independentemente da sua finalidade, podem resultar em uma proibição permanente de solicitar um visto para os EUA. 

Tratamento médico nos EUA - certificados necessários

Tratamento médico nos EUA – certificados necessários

A situação é um pouco diferente no que diz respeito aos requerentes de visto que lhes permite serem tratados nos Estados Unidos. Para além dos documentos mencionados acima e dos exigidos pelo funcionário consular, terá de apresentar diversos outros certificados. Pediram-lhe uma carta com um diagnóstico médico do hospital onde está a ser tratado. Isto deve incluir uma descrição da doença como também o porquê de ter escolhido os Estados Unidos como local de tratamento. Necessitará, para além disso, uma carta do seu médico ou prestador de cuidados de saúde nos EUA que certifique que você tem um local nos EUA onde será admitido (deve incluir a duração da admissão como também uma estimativa do custo do tratamento). Além desses documentos, uma declaração da pessoa ou organização que assume o pagamento do transporte, da acomodação e dos procedimentos médicos também será útil. Esta declaração deve ser acompanhado de uma prova de capacidade financeira, por exemplo, extratos bancários, cópias de declarações de impostos ou outra garantia escrita de renda ou poupança.

Passar pelo controlo da alfândega do aeroporto – regras a respeitar

Seguir as regras em vigor num determinado local facilita bastante todo este processo de controlo e poupará-lhe nervos desnecessários. Nos aeroportos, certas regras devem ser respeitadas para garantir que possa embarcar no seu voo. Isto aplica-se não só ao seu comportamento ou à apresentação dos documentos necessários, mas também à bagagem de mão e à bagagem de porão. 

Há uma lista específica de coisas que você não pode levar consigo na sua bagagem, quer na de mão quer na de porão. Nos Estados Unidos, para além dos conhecidos “itens proibidos”, que mais não pode ser transportado para lá? 

Transportar alimentos do seu país para os Estados Unidos

Transportar alimentos do seu país para os Estados Unidos

Pode levar consigo praticamente qualquer produto alimentar na sua viagem para os EUA. No entanto, lembre-se que os mesmos devem estar embalados para evitar qualquer problema na alfândega. 

É proibido transportar produtos animais não transformados para os EUA. Salsichas caseiras e salsichas em geral devem portanto permanecer no frigorífico em sua casa. Não vale a pena correr o risco, pois nos aeroportos dos Estados Unidos existem cães especialmente treinados que detectam facilmente quaisquer produtos de origem animal na sua bagagem. 

Frutas cítricas como por exemplo as maçãs, as cerejas, as bananas e as laranjas, e os legumes, como o tomate, os pepinos e as cenouras, não podem ser transportados para os Estados Unidos. Mudas, flores e vacinas, bem como outras plantas “vivas” também serão confiscadas na alfândega. Portanto, não leve a casa às costas, pois corre o risco de não embarcar no seu voo!

Alfândega - Álcool, cigarros e charutos

Alfândega – Álcool, cigarros e charutos

Álcool (vinho, tinturas, cerveja, etc.), passará sem problemas pela alfândega se for um adulto a levá-lo. Lembre-se que sob a lei americana, um adulto deve ter pelo menos 21 anos de idade, e não 18, para poder consumir álcool. De acordo com o site oficial do governo americano, o álcool que leva consigo para os EUA poderá apenas ser usado para uso próprio, ou seja, não o poderá vender. Um máximo de 1 litro de álcool por pessoa não está sujeito a taxas alfandegárias. Também vale a pena saber que o álcool comprado em lojas duty-free no aeroporto está sujeito às mesmas leis. Bebidas alcoólicas caseiras transportadas em quantidades adequadas também não são confiscadas. No entanto, as garrafas devem ter uma etiqueta a descrever o tipo de álcool contido nelas, escrito em Inglês.

O cigarro é outro droga lícita que muitas pessoas levam consigo quando viajam. A lei estabelece que até 200 cigarros podem ser transportados da Europa para os Estados Unidos. Pode também levar consigo tabaco, no entanto, em quantidades razoáveis. O número de charutos que podem ser transportados por pessoa é 100 – excluindo Cuba, que recebeu um embargo à exportação deste produto.

Enviar medicamentos para os Estados Unidos

De acordo com o site oficial do governo americano, pode levar praticamente todos os medicamentos, vitaminas e suplementos aos quais tem acesso sem receita médica em uma farmácia, para os EUA. Isto é bastante importante para quem faz uso de medicação de uso contínuo. No entanto, devem estar na sua embalagem original. É sempre bom ter uma prescrição médica, onde conste seu nome e todos os medicamentos que você está a tomar. Em relação a medicamentos de uso contínuo, você só pode trazer consigo o necessário para 90 dias de tratamento

No que diz respeito a medicamentos mais específicos, ou seja, medicamentos para os quais necessita uma receita médica, a situação é um bocado diferente. Obviamente poderá transportar esses seus medicamentos para os Estados Unidos, no entanto, estes estão sujeitos a certas restrições. Medicamentos como por exemplo antibióticos, morfina ou psicotrópicos, só são vendidos mediante a apresentação de uma receita médica válida. Essa receita médica é exigida no aeroporto, seja na sua versão original ou uma cópia. A prescrição deve conter a quantidade exata de comprimidos (doses) que o paciente tem de tomar durante a sua estadia nos Estados Unidos.

Uma viagem à América – questões de saúde

Se viaja frequentemente para o estrangeiro, sabe que uma viagem para um país como os Estados Unidos requer uma preparação adequada. Em alguns países um seguro de viagem é obrigatório: não é o caso dos Estados Unidos. No entanto, aconselhamos-lhe a comprar um pois se necessário disporá de cobertura para tratamento de emergência. Para além disso, as despesas médicas nos Estados Unidos podem ser relativamente altas!

Existem algumas vacinas que poderá querer fazer antes de viajar para os EUA, no entanto, estas não são obrigatórias. 

Viajar para os Estados Unidos – informação básica

Os Estados Unidos são, sem dúvida, um dos países mais atraentes do mundo e recebem todos os anos cada vez mais turistas. Quem já passou férias nos Estados Unidos afirma que tenciona voltar lá, pois é a terra das oportunidades e é de uma enorme diversidade, tanto a nível das paisagens, como os desertos, as planícies, as florestas e as montanhas, como também no domínio cultural e gastronómico. Daí, uma só viagem aos Estados Unidos não ser o suficiente para visitar todas as atrações turísticas. 

Para chegar com mais facilidade aos pontos turísticos que deseja ver, poderá, em primeiro lugar, querer alugar um carro e em segundo lugar, procurar voos baratos de um estado para o outro. 

Verifique também a meteorologia, pois devido ao seu vasto território e da diversidade das características geográficas os EUA apresentam diferentes tipos de clima.

Lembre-se também que no inverno é muito mais fácil encontrar voos baratos para a América.

Atrações turísticas que valem a pena ser visitadas

Atrações turísticas que valem a pena ser visitadas

Uma das cidades mais visitadas pelos turistas é Las Vegas, Nevada, pois é um destino extravagante, uma cidade literalmente construída para o entretenimento e nunca dorme!

Grand Canyon

Não menos popular, no estado do Arizona, é o Grand Canyon, uma paisagem natural de rara beleza. Esta maravilha natural atrai todos os anos milhões de turistas. 

Times Square em Nova Iorque

Outro ponto turístico que deve estar incluído na lista de sítios a visitar de qualquer turista é o Times Square em Nova Iorque. É neste momento o ponto turístico mais visitado do mundo, com cerca de 39 milhões de visitantes por ano! 

Parque Nacional de Yellowstone

Se é amante das maravilhas naturais, poderá querer visitar o Parque Nacional de Yellowstone, localizado nos estados de Wyoming, Montana e Idaho. O parque é famoso por diversas atrações, como por exemplo os seus gêiseres, as suas fontes termais, vulcões, montanhas, lagos cristalinos e pela sua variedade de vida selvagem. 

São Francisco

Quem ama o clima metropolitano tem de obrigatoriamente visitar São Francisco, uma cidade localizada no estado da Califórnia. É um lugar incrível, caótico, conhecido pela sua eclética mistura de arquitetura vitoriana e moderna e os seus marcos históricos, como a Ponte Golden Gate, a ilha de Alcatraz ou ainda os bondes.

Muita diversão nos Estados Unidos

Muita diversão nos Estados Unidos

É um país com uma grande variedade de grupos étnicos, tradições e valores, o que é sinónimo de diversão. A vida noturna oferece uma grande variedade de sítios onde poderá vivenciar uma experiência inesquecível: bares, discotecas, pubs etc. 

Alguns turistas também decidem fazer compras loucas em centros comerciais gigantescos, onde você pode encontrar produtos de marca a preços mais baixos do que na Europa.

Viajar para os Estados Unidos - vale a pena?

Viajar para os Estados Unidos – vale a pena?

Os Estados Unidos, também conhecido como a terra das oportunidades, continua a ser um destino popular e atrai todos os anos uma grande quantidade de turistas. Graças à sua diversidade, é impossível aborrecer-se. Não é difícil se apaixonar pelos EUA, e é por isso que uma grande porcentagem dos turistas não viaja apenas uma só vez para este maravilhoso país. Viajar para os Estados Unidos, embora seja uma viagem cara, vale absolutamente a pena.